Conselho Superior

Presidente

O O Presidente do Conselho Superior da Liga Portuguesa de Proteção Civil é João António Correia Martins.

João Correia Martins desempenha o atual cargo em representação do Corpo Nacional de Intervenção Civil ( C. N. I. C. ), organização de que é originário.

É licenciado em proteção civil da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Leiria.

Atualmente, para além da função de Presidente do Conselho Superior da Liga Portuguesa de Proteção Civil, desempenha em acumulação funções de Secretário-Geral da Liga Portuguesa de Proteção Civil, Presidente do Conselho de Direção do C. N. I. C. e de Comandante do Comando Nacional da mesma organização.

Iniciou a sua ligação à atividade de proteção civil em 1997 como associado efetivo da Associação Portuguesa de Emergência Rádio – C. B. onde desempenhou diversas funções nos órgãos sociais e na estrutura de comando.

Em Junho de 1999 ingressou como Aspirante no corpo de Bombeiros Voluntários Lisbonenses posto que manteve até Dezembro de 2001 quando foi promovido a Bombeiro de 3.ª Classe, posto que manteve até à sua saída daquele corpo de bombeiros em Abril de 2004.

É membro do Observatório da Segurança Criminalidade Organizada e Terrorismo.

É sócio fundador do Corpo Nacional de Intervenção Civil sendo autor do proposta original de estatutos tendo desempenhado anteriormente, nesta organização, o cargo de Presidente da Comissão Instaladora.

No âmbito da Liga Portuguesa de Proteção Civil foi autor dos estatutos desta organização.

É detentor do Certificado de Competência Pedagógica.

Conselheiro Superior

O Conselheiro Superior representante do Grupo Especial de Intervenção Civil do Concelho de Aveiro é Francisco Jorge Ferraz Dias

Conselheiro Superior

João Pedro Mota Rodrigues é Conselheiro Superior da Liga Portuguesa de Proteção Civil em representação do Corpo de Voluntários de Proteção Civil do Porto.

João Mota Rodrigues iniciou a sua atividade no setor da Proteção Civil com o ingresso num corpo de bombeiros voluntários que, entretanto, abandonou.

Desenvolveu trabalho em diversos movimentos sem personalidade jurídica no domínio da proteção civil destacando-se o seu trabalho desenvolvido no domínio de cães de busca.

No âmbito do voluntariado de proteção civil foi co - fundador do CIOPS - Corpo de Intervenção em Operações de Proteção e Socorro, organização que abandonou para fundar o Corpo de Voluntários de Proteção Civil do Porto onde, atualmente, desempenha, em acumulação de funções, os cargos de Vice-Presidente da Direção e de Comandante da unidade operacional.